sábado, 15 de maio de 2010

TOCANDO EM FRENTE

video

(Composição: Almir Sater e Renato Teixeira)

Ando devagar porque já tive pressa
Levo esse sorriso porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe
Só levo a certeza de que muito pouco eu sei
Eu nada sei

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Penso que cumprir a vida seja simplesmente
Compreender a marcha e ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro levando a boiada
Eu vou tocando os dias pela longa estrada eu vou
Estrada eu sou

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Todo mundo ama um dia.
Todo mundo chora
Um dia a gente chega
e no outro vai embora

Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
De ser feliz

Conhecer as manhas e as manhãs
O sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Cada um de nós compõe a sua história,
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
De ser feliz

quinta-feira, 13 de maio de 2010

CARTAZ/REFLEXÃO


Este cartaz saiu da Espanha e está rodando o mundo (traduzido). Muito bom para chacoalhar os países que estão discriminando estrangeiros, mas bom também para todo mundo, para uma reflexão sobre nossos preconceitos, nossas escolhas e nossas rejeições...!

(Enviado por Luiz Bonfim)

CONJUNTURA NACIONAL

Historinha do Ceará

Quintino Cunha, famoso advogado e poeta, participava de um júri em Quixeramobim. O promotor berrava na tribuna:

- Senhores Jurados, estou montado na lei.

Quintino pede um aparte:

- V. Exª. Tenha cuidado para não cair, porque está montado em um animal que não conhece.

O promotor se calou. (Do Folclore Político do Sebastião Nery)

Ave, Copa

Salve, Copa. Com a convocação dos jogadores para a Copa do Mundo, o Brasil entra em lua de mel com o futebol. Sai do trono o Rei Lula e senta nele o Rei Dunga e seus 23 ministros. A política passará uma boa temporada sob o abrigo do futebol. Querelas serão administradas na mesa do bar, no cafezinho, nas esquinas e corredores. Os olhos estarão atentos aos campos de futebol. O discurso político perderá a graça. Até que o Brasil se levante em aplausos, comemorando a vitória, ou verta em lágrimas, chorando a derrota.

Nomes do Brasil malvado - 1

Folheei o alfabeto dos nomes próprios do Brasil dos fundões. Eis um aperitivo:

Abrilina Décima Nona Caçapavana Piratininga de Almeida
Acheropita Papazone
Adalgamir Marge
Adegesto Pataca
Adoração Arabites
Aeronauta Barata
Agrícola Beterraba Areia

Alegria e choro

Se o Brasil ganhar o Troféu, tende a crescer o PNBF - Produto Nacional Bruto da Felicidade. As ruas estarão mais animadas. A cor verde amarela enfeitará as paisagens. Ânimos festivos, teor alcoólico aumentado, animação e bumbo. Dilma seria beneficiária disso tudo? Não acredito. E o ambiente de velório, inevitável se o Brasil não trouxer a taça, favorecerá o candidato José Serra? Tampouco creio nisso. O brasileiro não confunde alhos com bugalhos.

Mais um périplo


Luiz Inácio fará mais um périplo pelo mundo, a começar pela Rússia. Brasileiros poderão entrar naquele país sem a exigência do visto e vice-versa. Russos poderão aportar por aqui sem muita burocracia. Mas a viagem de Lula já não terá tanto impacto quanto antes. Após o apoio incondicional do Brasil ao Irã, o espaço de Lula na cabeça das lideranças mundiais diminuiu muito. Luiz Inácio perdeu prestígio.

Jobim, a voz do PMDB


O ministro Nelson Jobim entrou no governo pela cota pessoal do presidente Lula. É do PMDB, mas a escolha não teria passado pelo crivo do partido. Hoje, Jobim é considerado um quadro do PMDB na coordenação do governo. Ligado a Michel Temer, Jobim é um credenciado porta-voz do partido junto ao presidente. A ação ministerial de Jobim é considerada muito positiva. Ganhou a confiança de todos, peemedebistas e petistas.

Nomes do Brasil irresponsável - 2

Bananeia Oliveira de Deus
Bandeirante do Brasil Paulistano
Barrigudinha Seleida
Bende Sande Branquinho Maracajá
Benedito Autor da Purificação
Benedito Camurça Aveludado

Dia das mães

Considerada pelos lojistas como a segunda data comemorativa que mais movimenta o comércio, o Dia das Mães só perde para as festas de fim de ano em vendas e em número de postos de trabalho temporário. Neste ano, foram confirmadas as 26 mil novas vagas temporárias previstas na pesquisa pontual divulgada pela Asserttem - Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário, 11% a mais que no ano passado. O índice de efetivações girou em torno de 10%, o que representa emprego novo para 2,6 mil trabalhadores. As novas contratações, somadas às remanescentes da Páscoa, resultou em emprego temporário para 65 mil pessoas durante a data comemorativa.

A confiança de Lula

Lula deu entrevista a El País, o principal jornal espanhol, exibindo plena confiança na vitória de sua candidata Dilma. Mas abriu uma fresta, ao dizer que não haverá perigo de retrocesso, "ganhe quem ganhar". Aliás, para ele, sob o aspecto maquiavélico, uma vitória de Serra não seria de todo perniciosa para propósitos de um retorno em 2014. O país passará por um ciclo de contenção. Terá de fechar rombos abertos pela gastança do atual governo. Serra é especialista em ajustar contas. E manter cofres cheios. Seria um governante duro. Mas a área social se queixaria muito. E Lula teria condições de brandir seu slogan: Lula de novo nos braços do povo.

E se Dilma ganhar?


Se Dilma ganhar, a continuidade do projeto petista estaria garantida. Não haveria desmonte da máquina. Portanto, não haveria tanta motivação para um retorno de Lula ao Palácio do Planalto. Dilma poderia, então, se candidatar à reeleição. Mas, agora, teria de enfrentar um perfil mais jovial e até com certo poder carismático. Aécio Neves, por exemplo. São filigranas que já começam a surgir nos horizontes do amanhã.

Montenegro cauteloso

O amigo Carlos Augusto Montenegro, presidente do Ibope, é o papa das pesquisas no Brasil. Não quer falar de tendências nesse momento. Por quê? Por algumas razões: primeiro, as regras do jogo ainda não foram de todo definidas. O palco dos atores está incompleto. Quem será o vice de Serra? E quando será homologado o nome de Michel Temer, vice de Dilma? Lula, por sua vez, está saindo. E Dilma nunca recebeu um voto na arena política. Serra, por sua vez, tem longo e denso currículo. Mas o governo Lula tem muito a mostrar. Questão posta por Montenegro: quem garantirá melhor o futuro do eleitor? Conversei, ao final da tarde, com o papa das pesquisas. E ficamos de trocar figurinhas mais adiante.

Serra e o BC

Serra ataca "os juros mais altos do mundo" e o câmbio baixo. Dilma, no início do primeiro mandato de Lula, era contra a política do Banco Central. Hoje, é defensora de Meirelles. Até vai prestigiar, dia 21, em Nova Iorque, uma comenda que ele ganhou. A política monetária de Serra difere bem da atual. Os empresários gostam da visão de Serra, mas temem a dureza dele noutras áreas. Por isso, olham para ele com o olho direito, mas fixam o olho esquerdo em Dilma. Confiam que esta não mudaria muita coisa.

Nomes do Brasil brincalhão - 3

Cafiaspirina Cruz
Capote Valente e Marimbondo da Trindade
Caius Marcius Africanus
Carabino Tiro Certo
Carlos Alberto Santíssimo Sacramento
Cantinho da Vila Alencar da Corte Real Sampaio
Carneiro de Souza e Faro
Caso Raro Yamada
Céu Azul do Sol Poente

Agenda tributária


O setor contábil é formado por 417 mil profissionais e mais de 70 mil empresas no Brasil, que atendem, em média, 96% dos contribuintes do país. Hoje, as obrigações acessórias abarcam uma combinação perversa de acúmulos – por vezes em datas simultâneas ou muito próximas entre si e com informações redundantes entre elas – com uma tecnologia que ainda não conseguiu absorver o enorme volume de informações. O presidente do Sescon/SP, José Chapina Alcazar, esteve em Brasília recentemente para uma reunião com Otacílio Cartaxo, secretario da Receita Federal, quando pediu atenção ao tema, que é de interesse nacional. Chapina defende revisão urgente na agenda tributária.

Dr. Equinócio

Virgílio Távora, governador, recebeu telegrama do prefeito do Crato : "Senhor governador, solicito V. Exª. recursos enfrentar seca município. Cordiais saudações." Virgílio respondeu: "Senhor prefeito, aguarde, 19 de março, passagem Equinócio. Cordiais saudações." Dia 20 de março, o prefeito telegrafa de novo: "Senhor governador, apesar banquete e homenagens preparamos receber condignamente enviado V. Exª., até agora Dr. Equinócio não apareceu. Cordiais saudações."

MR?

MR é uma figura no entorno de Serra que dá muito medo aos setores produtivos. Ouvi de muita gente esse nome: Mauro Ricardo.

Fechando alianças

Periodicamente, temos de fazer um balanço de tendências. Hoje, esse balanço se volta para o campo das alianças. Para onde a balança pende? Para o lado de José Serra. Até o momento, tem melhores resultados que Dilma. Trouxe o PSC, da base de Lula, para junto de si, e ameaça puxar, ainda, o PP e o PTB. No Sul, Serra aplaina caminhos com muitas pedras. No Paraná, a meta, agora, é puxar o senador Osmar Dias do PDT, candidato ao Senado, para o bloco do Beto Richa do PSDB, candidato ao governo.

FHC e o dedaço

Fernando Henrique, o maior intelectual do PSDB, foi direto ao ponto. Disse que Lula escolheu Dilma com um "dedaço". E até imitou o gesto. Linguagem chula, que não combina na estrutura linguística de um ex-presidente da República. Um ícone do pensamento e das letras.

Ficha limpa

O projeto Ficha Limpa será um marco na história eleitoral. Mas não deverá vingar para o pleito deste ano. O sentimento é de que a vitória foi pela metade. Deveria vingar, já. Passará ainda pelo Senado e, na sequencia, deverá ser sancionado.

O veto aos velhinhos


Pois é, os 7,7% de aumento aos aposentados e o fim do fator previdenciário deverão ser vetados pelo presidente Lula, caso passem pelo crivo do Senado. A questão é: o veto deixará indignados os velhinhos? Na análise deste consultor, sim. Lula terá essa coragem? Sim, garante. Vamos ver se ele tomará essa decisão. Há dúvidas.

Nomes do Brasil improvisado - 4

Danúbio Tarada Duarte
Darcília Abraços
Carvalho Santinho
Deus Magda Silva
Deus É Infinitamente Misericordioso
Deusarina Venus de Milo
Dezêncio Feverêncio de Oitenta e Cinco
Dignatário da Ordem Imperial do Cruzeiro

Servidores, não

Os servidores públicos também não terão aumento este ano. E mais, Lula chamou os ministros e passou um carão: não ajam como sindicalistas. Não vai haver aumento e pronto. O "cara" decidiu engrossar.

Lula e o PT

Fico a imaginar a razão do sucesso de Luiz Inácio em seus dois mandatos. A razão mais forte: impôs sua visão ao PT. Deixou de se inspirar no ideário petista. Criou seu próprio modelo. Um modelo que diz ser "multi-ideológico". Ou seja, a capacidade de fazer alianças com Deus e o Diabo, gregos e troianos. Lula passou sobre o PT com um gigantesco rolo compressor. E assim conseguiu governar. Por que não foi aporrinhado? Porque abriu espaços para todos os grupos. Que se encastelaram nos arredores e no centro do poder.

PT e PV no governo Serra?


José Serra disse alto e em bom som: se eu ganhar, convidarei o PT e o PV para fazerem parte do governo. Verdade? Em termos. Chamaria, claro, um Eduardo Jorge, que é do PV. E que é considerado, por sua postura, um perfil suprapartidário. Difícil é imaginar José Serra convidando um perfil histórico e engajado do PT. O discurso de Serra, porém, é inteligente. Desarmado, em favor da união, do esforço de todos pela Grandeza da Pátria.

Longe de mim este cálice

Serra quer dizer, na verdade, o seguinte: longe de mim este cálice. Longe de mim o epíteto de anti-Lula. Ele não quer aparecer como o adversário de Lula numa campanha. Nesse caso, seria vencido.

Samba do crioulo doido


Campanha maluca, sô. No Rio de Janeiro, Dilma consegue reunir, em um evento, prefeitos do DEM e do PSDB. Isso mesmo: prefeitos da oposição. A mídia contou: 3 prefeitos do DEM e 2 tucanos. No Ceará, Tasso Jereissati, do PSDB, contará com o apoio do governador Cid Gomes, do PSB. Partido de Eduardo Campos, fechado com Dilma. Collor, em Alagoas, será candidato ao governo. Collor é do PTB e apoiará Dilma. Mas o PTB de São Paulo apoiará Serra, para a presidência, e Alckmin para o governo do Estado.

Conselho aos jogadores da seleção


Esta coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos a políticos, governantes e líderes nacionais. Na última coluna, o espaço foi destinado aos candidatos à presidência Dilma e Serra. Hoje, volta sua atenção aos atletas brasileiros convocados para a Copa do Mundo:

1. Recebam com humildade a convocação de Dunga para a Seleção Brasileira.

2. Evitem salto alto e procurem fazer o que sabem: jogar futebol.

3. Sejam esforçados, destemidos, despojados e cultivem o civismo no coração.

____________

(Por Gaudêncio Torquato)

quarta-feira, 12 de maio de 2010

"FICHA LIMPA"

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei Ficha Limpa, por 412 votos a favor e 3 abstenções. O texto, que será encaminhado ao Senado, prevê que não podem se candidatar políticos que tenham condenação em segunda instância ou tribunal superior, ou processo transitado em julgado, em que não cabe mais recurso. A informação é da Agência Câmara.

O candidato com as condenações listadas pela lei fica inelegível por oito anos. Caso uma decisão liminar absolva o político, a inegibilidade é suspensa até novo recurso na Justiça. A votação foi encerrada quando o Plenário rejeitou o último destaque apresentado pelo PMDB. A intenção do partido era tirar do texto do deputado José Eduardo Cardozo (PT-SP) o dispositivo que prevê a cassação do diploma de eleito quando o julgamento final do recurso acontecer depois da diplomação.

O texto aprovado traz uma longa lista de casos em que o candidato torna-se inelegível, incluindo as condenações que acarretam a perda de mandato, como improbidade administrativa e lesão ao patrimônio público. A lei também inclui abuso de poder econômico, contra o sistema financeiro, tráfico de drogas, ocultação de bens, trabalho escravo e abuso de autoridade.

Na Justiça Eleitoral, o PL cita os crimes de corrupção eleitoral e doações e gastos ilegais de recursos de campanha. O projeto veta ainda a candidatura de pessoas físicas e dirigentes de empresas responsáveis por doações eleitorais ilegais, além de juízes e membros do Ministério Público que tenham sido aposentados compulsoriamente pela Justiça, bem como profissionais excluídos da categoria por falha ética.

Nesta segunda-feira (10/5), o o líder do governo na Câmara Cândido Vacarezza (PT-SP) afirmou que o entendimento do presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Ricardo Lewandowski, é que o Ficha Limpa não terá validade para as eleições de outubro. Segundo a Folha Online, os favoráveis à aplicação imediata da lei, acreditam que ela poder ser validada este ano se for sancionada até junho, antes da convenções partidárias.

O que diz a lei
São inelegíveis quem tiver condenação definitiva ou de órgão colegiado, nos seguintes casos:

* Ocupantes de cargos eletivos:
o Cassados por violação à Constituição Estadual ou Lei Orgânica dos Municípios.
o Que tiverem suas contas recusadas
o Que desfizerem união conjugal ou estável para descaracterizar situação de inelegibilidade.
o Que renunciaram para não serem cassados
* Ocupantes de cargos na administração pública condenados por abuso de poder econômico ou político
* Oficiais excluídos das forças armadas
* Profissionais excluídos da categoria por falha ético-profissional.
* Magistrados e membros do MP aposentados compulsoriamente
* Quem teve os direitos políticos suspensos por improbidade.
* Demitidos do serviço público em processo administrativo.
* Condenados por fazer doações eleitorais ilegais
* Condenados
o Por crime contra a economia popular, a fé pública, a administração e o patrimônio públicos.
o Por crime contra o patrimônio privado, o sistema financeiro, o mercado de capitais e por violação à Lei de Falências.
o Por crime contra o meio ambiente e a saúde pública.
o Por crime eleitoral punido com pena de prisão.
o Por abuso de autoridade
o Por lavagem de dinheiro, tráfico de droga, racismo, tortura e crimes hediondos
o Por trabalho escravo
o Por crime contra a vida e a dignidade sexual
o Por organização criminosa, quadrilha ou bando

(Fonte: CONJUR)

DE ALMEIDA BRILHA


O artista cearense Francisco de Almeida inaugura, hoje, a exposição "20 aos pedaços". A individual é composta por dez gravuras inéditas e conta, ainda, com a presença do famoso painel "Os quatro elementos" de 20 metros de comprimento, que participou da VII Bienal do Mercosul, realizada em 2009

Tão suave e pequenino, ele voa leve e ligeiro como um passarinho. Por ziguezagues altos e certeiros, fura nuvens, serpenteia estrelas e dá "loops" alegres pela lua. Num mundo idílico e mágico, habitado por sereias, anjos, musas, seres alados, mitológicos, santos, guerreiros e reis, Francisco de Almeida mergulha em êxtase artístico.

É dai que todos os dias, segundo me contou em tom confessional, "arranca um trabalho da alma". Desse desarraigar denso marcado pelo dualismo da dor e do prazer, movido às asas da imaginação, que o artista concebe sua poética de luz.

Em "20 aos pedaços", exposição que abre hoje, às 19h, no anexo do Espaço Cultural da Universidade de Fortaleza (Unifor), Francisco de Almeida nos mostra mais uma vez a genialidade de sua arte. Uma xilogravura que impressiona pela beleza, singularidade e alegoria de suas formas e figuras.

Na individual, estão presentes dez gravuras, feitas especialmente para a ocasião, e mais o aclamado painel "Os quatro elementos" de 20 metros de comprimento, que marcou sua presença na VII Bienal do Mercosul, realizada em Porto Alegre, no ano passado. "Na exposição, as gravuras menores foram produzidas com as mesmas matrizes da gravura mãe, aquela que levei para a Bienal do Mercosul, mas em contexto diferente, com outras combinações. É somente no painel grande que o público poderá encontrar todas as figuras juntas", explica.

Segundo Francisco o convite para expor no Espaço Cultural Unifor foi motivo de felicidade, mas também de preocupação. "Fiquei muito contente com o convite, mas depois fiquei temeroso pelo fato de ter que produzir dez obras em apenas cinco meses, quero sempre dá o meu melhor e sei que o público merece isso. Teve um dia que eu estava sentado perto da janela, um vazio grande me consumia, quase liguei para a minha...Ai fui ver o pôr- do-sol com a Maria Eugênia, minha esposa, tudo melhorou...Daí pensei: puxa, se fiz uma obra de 20 metros em pouco tempo, posso superar qualquer obstáculo...Então, as coisas floresceram".

Para o artista, a produção das gravuras aconteceu em meio a um processo intenso e doloroso como um parto. "Parir é difícil, acho que sei como é a dor que uma mãe sente na hora do parto", diz entre risos.

Técnica inovadora

A preferência pelos grandes formatos e pelos meios rudimentares de impressão potencializa a dramaticidade e a grandeza de seu trabalho. O artista está constantemente reinventando as próprias ferramentas, linguagens, pigmentação e métodos de gravação.

Desde 2004, dedica-se à pesquisa de uma xilogravura fragmentada, que impede a repetição de uma mesma combinação, permitindo, portanto, infinitas formas de fazer um dado trabalho com uma única matriz. Prática que se opõe à produção mais tradicional. Sobre o assunto, ele justifica: "tudo na vida parte de uma necessidade. No meu caso, por exemplo, surgiram muitas: como imprimir? Como gravar e colorir em grandes dimensões uma gravura? Estou sempre aprendendo com todas as etapas de produção do meu trabalho, é como um diálogo constante entre criador e criatura", conclui. Assim, frágil e pequenino, leve e veloz como um passarinho, Francisco voa, tão longe e tão alto, perdendo-se na imensidão branca perolada de nuvens fofinhas e desalinhadas...Voa, voa Francisco, segue teu caminho de luz e emoção.

Arte de Francisco

O mago das gravuras


O xilogravador Francisco de Almeida nasceu na cidade de Crateús, interior do Ceará, em 7 de agosto de 1962. De pai ourives, mãe bordadeira e avó rendeira, ele herdou o dom de fazer arte com as mãos. Aos 15 anos, o artista veio morar em Fortaleza e teve a oportunidade de estudar xilogravura com o gravador Sebastião de Paula. Pouco a pouco, seu talento foi sendo reconhecido pelo público e pela crítica.

Hoje, portanto, suas obras estão guardadas em acervos importantes do País, como o da Pinacoteca, em São Paulo, e o Museu de Arte Contemporânea do Centro Dragão do Mar, aqui em Fortaleza. Francisco de Almeida já participou de várias exposições, entre individuais e coletivas, no Brasil, Argentina e Espanha. Em suas investigações, o artista criou uma espécie de equipamento feito com canos de PVC, madeira, corrente e coroa de bicicleta, do qual é possível produzir grandes gravuras. Através dele, elaborou o painel "Os quatro elementos" de 20 metros de comprimento. O trabalho participou da VII Bienal do Mercosul, ocorrida entre os dias 16 de outubro e 29 de novembro, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Não há notícias de outra gravura com essas dimensões no País.
O artista plástico confecciona um feito inédito. No painel, é tratada a temática religiosa nordestina, enfatizando elementos da natureza, como a chuva, o sol, o vento, a terra e o ouro. Parte da obra, inclusive, é colorida e contém a utilização de imagens com grafite.

MAIS INFORMAÇÕES:

Exposição "20 aos pedaços", de Francisco de Almeida, abertura hoje, às 19h, para convidados. Visitas a partir do dia 13 de maio a 13 de junho, no Anexo do Espaço Cultural Unifor. Gratuita. De terça a sexta, das 10h às 20h, e aos sábados e domingos, das 10h às 18h. O público também pode agendar exposições guiadas pelo , através do Projeto Arte-Educação.

ANA CECÍLIA SOARES
REPÓRTER


++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++



Almeidinha merece todas as homenagens devidas a um grande e autêntico artista universal.

Sua obra tem a característica singular de nos encher da esperança de que coisas boas são possíveis. E é sempre gratificante vê-lo em evidência.

Indo a Fortaleza nesse período, com certeza irei visitá-lo.


Lourival

terça-feira, 11 de maio de 2010

ACADGOB

Ocorreu ontem à noite, no templo da Loja Igualdade, em Fortaleza, a solenidade de fundação do núcleo cearense da Academia de Artes, Ciências e Letras do Grande Oriente do Brasil - Ceará.

Várias autoridades compareceram, prestigiando o evento.

Na ocasião, fui escalado para saudar os confrades empossados.

Eis uma transcrição livre da minha fala:

O DISCURSO

Autoridades que compõem a mesa,

Meus Irmãos, Cunhadas e fraternos confrades:


A mim me incumbiram de saudar os entrantes nesta Academia.

Pensei em lhes estender a mão, afagar-lhes com um tríplice abraço, oferecer-lhes o ósculo da paz e desejar-lhes boas vindas. Só isso.

Mas a magnitude deste momento, a excepcionalidade deste evento me impulsiona a compartilhar com vocês uma breve reflexão.

Como bem sabeis, pedreiros livre que engalanam esta sinagoga da virtude, a nossa Instituição é um estandarte que atravessou os séculos graças à auréola da significação simbólica.

Para nós, os símbolos têm o significado que a etimologia original, do grego clássico, elucidou: sim (junto) e bailein (lançar). O sentido é lançar as coisas de tal modo que permaneçam juntas.

Pois bem. Como no universo do simbolismo nada ocorre por acaso (para os Maçons, existe Acácia, nunca acaso), fico perquirindo por que estamos realizando esta Sessão exatamente no templo fundante da Maçonaria cearense! Logo que cheguei – meu caro Presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Vereador Salmito Filho, que muito tem colaborado com a nossa Instituição - divisei uma mesa composta por uma plêiade de maçons em cuja memória está guardado o fio histórico da Maçonaria cearense. Destaco Zelito Magalhães que escreveu um livro narrando nossa caminhada histórica. Destaco Osmar Maia Diógenes, esse ícone da fraternidade, o único que conseguiu a façanha de ser Grão Mestre das três potências maçônicas cearenses.

É como se o Grande Arquiteto do Universo – professor Antonio Cerqueira - estivesse nos convidando para um Ágape Fraternal em que nos banquetearíamos saboreando as nossas raízes.

Pois é para isto que entendo este Sodalício, a existência desta Arcádia, o funcionamento desta Academia.

Para extrairmos a seiva das nossas raízes e oferecermos um contributo frutífero à geração presente de maçons. Resgatarmos nosso passado heróico! Lembrarmos – meu estimado ex-professor Fernando Távora, Procurador estadual - de que a nossa Ordem foi o espaço do rito de passagem, a abóbada celeste que, entre suas Colunas de Luz, forjou grandes mestres para o território complexo das ciências, para o emaranhado fonético do salão das letras, para o jardim florido das artes.

Permitam-me que saliente três exemplos que povoam as enciclopédias universais.

Cito Benjamim Franklin, elétrico patriarca das Américas, inventor contumaz, criador do pára-raios, dos óculos bifocais, dentre inúmeras outras criações da sua mente prodigiosa. É exemplo de maçom empreendedor.

A história registra o caso, por exemplo, de uma mulher, doente mental, casada com um homem desequilibrado em todos os sentidos. Alcoólatra e desocupado, estava longe de ser pai modelar ou marido referencial. Esse casal, no entanto, teve quatro filhos: o primeiro, doente mental; o segundo, paralítico; o terceiro, acometido de outra enfermidade séria; o quarto também deficiente. Mesmo com todo esse histórico de tragédia, a mulher estava grávida pela quinta vez. E esse quinto filho, que tudo apontaria para ter também uma vida desventurada, foi Ludwung Van Beethoven, um dos maiores gênios musicais da humanidade. Maçom e homem de artes. Gênio perpétuo e inolvidável.

Outro, no campo das letras – e lembro que o Osmar me dizia que outrora existia nesta Oficina uma biblioteca francesa - foi François-Marie Arouet, o francês Voltaire. Incondicional amante da liberdade, foi advogado dos oprimidos e escritor magnífico. Deixou frases insuperáveis em defesa da liberdade de opinião, como essa: "Não concordo com uma única palavra do que dizeis, mas defenderei até a morte o vosso direito de dizê-la."


É disso que estamos precisando – comendador Hermes Elias, Presidente Anízio Araujo - meus Irmãos todos: para um Oriente abatido por sucessivas crises ao longo de seus últimos anos, a aura empreendedora de um Benjamin Franklin; para um Oriente sacudido pela desesperança no futuro, a audácia do exemplo de um Beethoven; para um Oriente que se engalfinha em discussões estéreis, que têm dificuldade de conviver com a opinião alheia, que enxerga no pensamento divergente uma razão para se render à inutilidade da cólera e alimentar uma irracional divisão interna, o exemplo libertário de um Voltaire.

É disso que precisamos. Este o nosso desafio: estarmos à altura do que nos cobra este momento histórico. Que esta Academia seja essa força revolucionária, capaz de sacudir as colunas sagradas dos nossos templos e nos fazer enxergar o universo mágico da verdadeira Maçonaria, trolha que aplaina as diferenças e nos convoca para a prática da tolerância e do amor!


(Transcrição livre de discurso proferido ontem à noite, no templo da Loja Igualdade, na Rua Senador Pompeu, 578, Centro, Fortaleza, Ceará)



+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

lb deixou um novo comentário sobre a sua postagem "ACADGOB":

Junior, voce foi simplesmente brilhante. PARABENS!

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

segunda-feira, 10 de maio de 2010

PARA REFLETIR


"Já que eu sou imperfeito e preciso da tolerância e da bondade dos demais, também tenho de tolerar os defeitos do mundo até que possa encontrar o segredo que me permita remediá-lo." (Mahatma Ghandi)
------------------

domingo, 9 de maio de 2010

O DIA DAS MÃES


O dia das Mães inevitavelmente nos remete a dois caminhos: o primeiro nos impele a pensar a magnitude da maternidade; o segundo nos leva ao útero que nos gerou, à lembrança da nossa genitora.

Conquanto respeite quem pensa diferente, acho constrangedor para alguém do sexo masculino falar sobre algo que o destino reservou única e exclusivamente para uma fêmea. A maternidade repousa no território sagrado do inefável, habita as grutas imperscrutáveis do mistério, dormita no altar solene das grandezas inatingíveis.

Na academia da maternidade, as mulheres fazem todos os exercícios físicos e psíquicos, ideológicos e fisiológicos imagináveis: colocam ali o peso do corpo, a leveza da alma, o sopro da inteligência e a aura do espírito. Quando uma mulher se torna mãe, sua personalidade se transforma indelevelmente. Jamais será a mesma. Por isso dedicamos incomparável predileção pela que nos gerou.

Só quem se abre à comunhão com os laços umbilicais; só quem conviveu com a figura invariavelmente afetuosa de uma mãe - ou, noutro extremo, foi privado ou perdeu a ternura da presença materna sabe quão importante é o papel da fonte pela qual vimos ao mundo.

Recordo Rosária, minha suave mãe, ornamento floral em minha vida, peça de arquitetura fisiológica donde brotaram roseiras preciosas. Praticou o amor em sua plenitude evangélica: deu a vida pelos outros, personificados nos entes mais próximos, sobremaneira pelos filhos e pelo marido. Meu pai revelava a predileção especial que tinha por um ou outro filho. Dos lábios da minha mãe jamais auscultamos qualquer sílaba discriminatória.

Concordo com Rubem Alves quando elege a árvore como linda metáfora para a mãe: “As árvores estão sempre à espera. Acolhem aqueles que as buscam na sua sombra. São silenciosas. Sabem ouvir. Não têm pressa. Sob as árvores os pensamentos se aquietam. Elas nos falam da estupidez humana, na sua correria sempre em busca dos olhares dos outros. Coitados dos adultos: sempre prisioneiros dos olhos dos outros e dos pensamentos que imaginam morar neles. Árvores não têm olhos. Por isso elas não fazem comparações. Não dizem que esse é mais bonito que aquele”.

Mães de todas as raças: continuem como colossais árvores de luz, deitando raízes profundas, produzindo frutos de sabedoria e germinando rebentos de uma cultura de paz! Feliz Dia das Mães!



(Júnior Bonfim, in Amores e Clamores da Cidade)