sábado, 20 de março de 2010

UMA MÚSICA

Raul Seixas pertenceu àquela geração de compositores e cantores brasileiros que mesclavam as melodias com mensagens de vida, lições consistentes, apelos profundos.

A música abaixo, que considero fantástica, se insere nesse rol. Preste atenção na letra. Sobretudo quando ensina que "basta ser sincero e desejar profundo, você será capaz de sacudir o mundo".

TENTE OUTRA VEZ

video

sexta-feira, 19 de março de 2010

APELO A SÃO JOSÉ



Glorioso São José.
Santo da minha devoção.
Não se esqueça de mandar,
Chuva pro meu sertão.
Aqui o povo é sofrido,
E carece de proteção.

Olho pro gado no pasto,
Tão magro tão desnutrido...
Parece que lambe pedra,
O verde foi destruído.
Só se vê nessas paragens,
Galhos secos retorcidos.

À vontade de trabalhar é grande.
A fé em Deus não é menor.
A gente só quer do senhor,
Uma ajudinha maior,
Pois o nordestino é forte,
Não economiza suor.

Dá uma tristeza danada,
Ver nosso açude secar.
Primeiro vira lama,
Depois se dana a rachar.
Os peixes vão se sumindo,
E os urubus a rondar.

É a miséria chegando,
É a chuva sem chegar,
É a oração e o pranto,
E o pobre sempre a rogar:
Glorioso São José,
Venha nos ajudar.


(Dalinha Catunda)

DE FLAVIANNA

Boa noite!!!

Não tenho palavras para descrever tamanha emoção ao ler suas palavras....

Fiquei muito feliz de ter minha pequena história reproduzida por um amigo do meu Pai.

Tenho certeza que meu pai está muito grato pela sua lembrança e homenagem.

Obrigada e parabéns pelo domínio da escrita tão comovente e cheia de emoções!


Abraço carinhoso da Família Loiola Lima.


Flavianna Lima


++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Olá Júnior,

Gostaria nesse primeiro momento, de manifestar os meus emocionados e sinceros agradecimentos pela homenagem e pelo admirável relato que simboliza uma parte da história da família LOIOLA LIMA.

Já para você, minha irmã, gostaria de aproveitar o espaço para parabenizá-la pela determinação, pela sabedoria, pela humildade, e antes de tudo, pelo SER iluminado que você é.

Fica com as bençãos de DEUS, com a presença de nosso PAI que nos acompanha e nos ilumina, e com o apoio de nossa FAMÍLIA e AMIGOS.

"CONTINUA... O CÉU É O LIMITE"

Amo,


MAXMILLER.


++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Parabéns pela matéria! Essa minha prima, é mesmo uma mulher de garra e coragem...
Bela matéria,continue assim 'Iana':)

bjo


Thávila Monniz

quinta-feira, 18 de março de 2010

FLAVIANNA LOIOLA LIMA


Nasci em pleno embaçamento do horizonte institucional do País. Vivia a locomotiva da Pátria à mercê dos solavancos militares, conduzida sob a bitola dos trilhos da exceção. Era um tempo que provocava a indignação. Ato heróico era resistir à ordem estabelecida. Privilegiava-se a revolta, pois toda a culpa das mazelas mundanas era debitada na conta dos detentores do poder.

Vivemos outros tempos. Descobrimos, como o cronista carioca, a ‘inutilidade da cólera’. Descobrimos também – pelo menos alguns – que o olhar mais profundo é aquele que mira para o mais íntimo de nós mesmos. Pois a purgação pessoal prescinde à paz social. Para a verdadeira “concertação” do mundo ou para que germine uma civilização fraterna e justa, mais importante do que vociferar sobre os defeitos alheios, é buscar corrigir as nossas próprias imperfeições. À Buda, procuro extrair de cada ser, inclusive dos contendedores, a pérola da virtude, a flor da bondade. E assim vivo a sondar exemplos reluzentes. Daí esta página, que invariavelmente traz à ribalta contornos descritivos de pessoas que, via de regra, cruzaram a linha serena da maturidade.

Decorre que hoje falarei de gente que exala o bálsamo da juventude. Esta crônica nasceu em Crateús, na segunda-feira do Carnaval deste 2010. Fui acudir um chamado afetuoso para uma dupla comemoração. Fabiano e Socorro Marques tinham motivos de sobra para convidar familiares e amigos: Larisse e Levi, filhos do casal, tinham obtido êxito em duas distintas etapas da vida educacional. Aquela, selecionada para cursar mestrado; este, classificado no vestibular para medicina da Universidade Federal do Ceará. Ao invés de um evento Dionisíaco, próprio da atmosfera carnavalesca, optaram por um ritual transcendente: uma celebração litúrgica seguida de um banquete fraterno. Impressionou sobremaneira a madureza do depoimento do Levi, um jovem de 18 anos, que declarou: - “Embora eu saiba que meus pais poderiam custear meus estudos em uma faculdade particular, resolvi lhes dar esse presente: passar em uma Universidade Pública. Acho que eles mereciam”.

Dentre as agradáveis figuras com que me deparei ali, destacou-se a dona Zenaide, uma jovem viúva que é proprietária do mais requisitado Buffet da cidade – o Favo de Mel – que, inclusive, fora contratado para coordenar o almoço. Flávio Lima, com quem era casada, foi meu companheiro de lutas estudantis e culturais no início da década de 1980, quando o saudoso professor José Ferreira de Oliveira atiçava a mocidade crateuense para os embates democráticos. Embora amante da introspecção, Flávio se viu arrastado pelo redemoinho da militância estudantil. Depois, resolveu se dedicar aos dois amores de sua vida: o trabalho e a família. A lanchonete “Favo de Mel”, que comandava, era um indefectível ponto de encontro dos prosadores da cidade. Há exatos três anos, em março de 2007, súbita e repentinamente ele se mudou para o espaço da meditação permanente. Tal qual uma guerreira destemida e impulsionada pelo mesmo amor culinário, sua consorte fez progressos negociais e zelou pela formação da prole.

A primogênita, Flavianna Loiola Lima, nascida em 1985, iluminada pela lâmpada do exemplo familiar, resolveu cursar Engenharia de Alimentos pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Quando o pai faleceu, poderia ter se recolhido à intimidade do lar, rendendo-se à justificada dor que tomou conta de si e de seus entes queridos. Embora tenha passado um mês junto à família, em Crateús, resolveu seguir na batalha da existência e prosseguiu nos estudos. Assediada, como sói acontecer aos da sua idade, pelas tentações da facilidade hodierna, manteve-se no caminho originalmente definido.

No período de férias, ao invés de se entregar ao merecido lazer, aproveitava para fazer cursos. Um desses, ocorrido em Belo Horizonte, foi o curso de multiplicadores do PROPAN (Programa de Apoio à Panificação) que forma e seleciona consultores em nível nacional.

Ao término da faculdade, in continenti remeteu o currículo para a empresa. Também em uma resposta relâmpago, teve seu nome aprovado para fazer parte do grupo de consultores do PROPAN. Vinte minutos depois da sua aceitação, foi-lhe emitido um bilhete de passagem aérea e, hoje, através de uma empresa de consultoria que montou, vive nas asas de um avião pelo país afora, prestando serviços de consultoria e treinamentos para o setor de panificação e alimentação em geral.

Atuando majoritariamente no Sul e Sudeste, com ênfase em São Paulo, faz parte de um grupo de 80 consultores, onde detém respeito referencial: obteve o 2º lugar (dentre todos os consultores), ocasião em que foi premiada com um netbook.

Flavianna protagoniza uma dessas sagas difíceis de aclarar pelos estreitos caminhos de raciocínio que as nossas mentes estão acostumadas a percorrer. Deepak Chopra nomeou de Sincrodestino essa capacidade de decifrar o significado oculto nas coincidências da vida e que é capaz de operar milagres. Na obra “O andar do bêbado: como o acaso determina nossas vidas”, Leonard Mlodinow batizou de “teoria da aleatoriedade”, mostrando como os processos aleatórios são fundamentais na natureza e onipresentes em nossa vida cotidiana. Na linguagem religiosa, os santos verbalizam que é “o sopro do Espírito”.

Coincidência do destino, processo aleatório ou sopro do Espírito são formas diferentes de dizer a mesma coisa: quando, como lembra Valter Franco, se mantém “a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranqüilo”, ou seja, em sintonia com a energia superior que rege o universo, milagres acontecem. E quem se transforma em instrumento do prodígio adquire uma luz especial. Vira Gente que Brilha!


(Por Júnior Bonfim - na Revista Gente de Ação - março/2010)

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Olá Júnior,

Você sempre nos brinda com histórias de vida bem marcantes.

Certamente estas histórias servirão como exemplo para pessoas que pensam em seguir em frente mas esperam um empurrão, quando na realidade, cabe a cada um de nós correr em busca de nosso futuro.

Parabéns a Flavianna pela determinação, pelo sucesso alcançado e pelo exemplo de mulher que sabe o que quer.

Um abraço,

Dalinha

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++


Parabéns pela matéria. Essa minha sobrinha é uma nordestina de coragem, como todos nós somos, sem medo de enfretar os desafios.

Parabéns.


Martonia

segunda-feira, 15 de março de 2010

O QUE EU NÃO QUERO



"Não quero alguém que morra de amor por mim...
Só preciso de alguém que viva por mim,
que queira estar junto de mim, me abraçando.

Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo,
quero apenas que me ame,
não me importando com que intensidade.

Não tenho a pretensão de que todas
as pessoas que gosto, gostem de mim...
Nem que eu faça a falta que elas me fazem.

O importante pra mim é saber que eu,
em algum momento, fui insubstituível...
E que esse momento será inesquecível...
Só quero que meu sentimento seja valorizado.

Quero sempre poder ter um sorriso
estampando em meu rosto,
mesmo quando a situação não for muito alegre...
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz
para os que estiverem ao meu redor.

Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém...
E poder ter a absoluta certeza de que esse alguém
também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.
Queria ter a certeza de que apesar
de minhas renúncias e loucuras,
alguém me valoriza pelo que sou,
não pelo que tenho...

Que me veja como um ser humano completo,
que abusa demais dos bons sentimentos
que a vida lhe proporciona,
que dê valor ao que realmente importa,
que é meu sentimento... e não brinque com ele.

E que esse alguém me peça para que eu nunca mude,
para que eu nunca cresça,
para que eu seja sempre eu mesmo.

Não quero brigar com o mundo,
mas se um dia isso acontecer,
quero ter forças suficientes para
mostrar a ele que o amor existe...
Que ele é superior ao ódio e ao rancor,
e que não existe vitória sem humildade e paz.

Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar,
amanhã será outro dia, e se eu não desistir
dos meus sonhos e propósitos, talvez obterei êxito
e serei plenamente feliz.

Que eu nunca deixe minha esperança
ser abalada por palavras pessimistas ...

Que a esperança nunca me pareça um "não"
que a gente teima em maquiá-lo de verde
e entendê-lo como "sim".

Quero poder ter a liberdade de
dizer o que sinto a uma pessoa,
de poder dizer a alguém o quanto ele
é especial e importante pra mim,
sem ter de me preocupar com terceiros ...
Sem correr o risco de ferir uma
ou mais pessoas com esse sentimento.

Quero, um dia, poder dizer
às pessoas que nada foi em vão ...
que o amor existe, que vale a pena
se doar às amizades a às pessoas,
que a vida é bela sim,
e que eu sempre dei o melhor de mim... valeu a pena!!!

(Mário Quintana)